×

Aviso

JFolder: :files: caminho não é um diretório. Caminho: /home/amagis.org.br/public/images/galerias/fotos-28-05-2017
×

Observação

There was a problem rendering your image gallery. Please make sure that the folder you are using in the Simple Image Gallery Pro plugin tags exists and contains valid image files. The plugin could not locate the folder: images/galerias/fotos-28-05-2017

31 05 2017 acao

Uma manhã ensolarada e repleta de atividades no Parque da Cidade marcou a segunda edição da Ação Solidária Rompendo o Silêncio, realizada no último domingo, 28 de maio, pela Associação dos Magistrados do Distrito Federal (Amagis-DF). Mais de mil pessoas passaram pelo evento, que ocupou todo o estacionamento 12 do Parque, entre 9 e 14h. O público pôde assistir a inúmeras apresentações artísticas, palestras temáticas de conscientização, além de praticar aulas de ritmos, zumba e crosfitt ao ar livre, entre diversas outras atrações que tornaram o evento um grande sucesso.

Segundo a coordenadora de Ações para Mulheres da Amagis-DF, Juíza Rejane Suxberger, que esteve a frente da organização do evento, o projeto nasceu da necessidade de conscientizar a sociedade das diversas formas de violência às quais as mulheres continuam expostas, realizando um trabalho de prevenção com a população em geral, a fim de conscientizar a população da importância de ações preventivas. “A ação solidária Rompendo o silêncio uniu e fortaleceu esforços no âmbito das instituições judiciais e a sociedade civil. Reforçamos os protocolos de prevenção, assim como foram dados destaques às mais diversas formas de violência sofrida pela mulher. A ação atingiu seu objetivo ao estimular a comunidade e não somente as mulheres em situação de violência, a não tolerar mais e denunciar qualquer forma de violência contra a mulher”, destacou a magistrada.

Para o presidente da Amagis-DF, Juiz Fábio Esteves, o projeto foi um marco no diálogo da magistratura com a sociedade e demonstra que juízes e vários outros atores do Sistema de Justiça podem fazer muito mais do que prolatar medidas protetivas para combater a violência doméstica. “Podem, neste diálogo franco e sincero, empoderar e educar para a transformação. Essa ação passa pelos direitos que as mulheres, na condição de cidadãs, ostentam. A ação no Parque da Cidade expandiu essa oportunidade de acesso e possibilitou a troca de experiências entre instituições e pessoas que por ali passaram”, argumentou.

O grupo Dança de Carimbó (Crianças do Riacho Fundo), o trio de hip hop Batalha das Gurias e as bandas de percussão formadas exclusivamente por mulheres, Maria Vai Casoutras e Batalá de Brasília, marcaram as atratividades musicais e culturais do evento. Houve, ainda, a exposição da mostra fotográfica “Nunca me calarei”, que já esteve no MASP (SP), na Praia de Copacabana (Rio), e na Câmara Legislativa do DF - o trabalho retrata a violência sofrida pela mulher, por meio de rostos pintados de vermelho.

A programação de painéis temáticos também aqueceu a II Ação Solidária e prendeu a atenção de quem passava pelo Parque da Cidade, com breves palestras acerca da importância da reflexão de assuntos, que, segundos os palestrantes, ainda são pouco falados. Palestraram, na ocasião: a presidente da Comissão da Mulher da OAB-DF, Cristina Alves Tubino; o promotor de Justiça de Violência Doméstica, Pedro Thomé; a psicóloga da SEEDF, Tânia Naves; a professora da UNB e criminóloga, Soraia da Rosa Mendes; a gestora pública, Mariana Siqueira de Carvalho Oliveira; a consultora do Senado Federal, Cleide de Oliveira Lemos; a Juíza do Trabalho, Noemia Porto; a Juíza Federal, Célia Bernardes; e a delegada da Polícia Civil Jane Klebia.

Vários stands fixos estiveram presentes no evento, com serviços gratuitos para quem passasse pela ação, como medição da pressão e teste de glicemia (Laboratório Sabin e Turma de Enfermagem da UnB), cortes de cabelo (Helio Diff), oficina de artesanatos (Casa Abrigo); assistência da Unidade Móvel de Acolhimento às Mulheres e atendimento especializado de fisioterapia e massoterapia.

A II Ação Solidária Rompendo o Silêncio contou com o apoio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação de Juízes Federais (AJUFE), Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (ANAMATRA), Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal OAB-DF. Além dos apoios institucionais, houve parceria de diversas empresas engajadas com ações sociais, tais como: Laboratório Sabin, Academia Acuas Fitness, Professora de Zumba Márcia Motta, Kamon Crossfit, Foco Fisioterapia, Instituto de Beleza Hélio, Banda Maria Vai Coasoutras e Banda Batalá.

Amagis-DF - 31 de maio de 2017

+ Fotos

{gallery}fotos-28-05-2017{/gallery}